domingo, 31 de janeiro de 2010

Será a altura certa?

Esta pergunta surge vezes sem conta quando se fala de relações amorosas, ou não.

Será a altura certa de lhe dizer olá? Será a altura certa de lhe dar flores? Será a altura certa de dar o primeiro beijo? Será a altura certa de dizer que a amo? Será a altura certa de dar o próximo passo? Será que é agora que me dispo? Será a altura certa de a/o despir? Estás pronta/o?

Tens preservativos?

Não.

Será a altura certa de contrair uma doença??

Somos informados em todo o lado, no centro de saúde, na escola, em casa ou em blogues como este mas na tal altura certa, pensamos nisso?

Provavelmente metade de nós não pensa. Até que contrai algo, como o tal bicho da SIDA que tanto se fala e que por causa dele, tanta gente morre. Não por ter SIDA mas por estar muito vulnerável a todas as bactérias que nos rodeiam. Tira-nos a família, os amigos, os conhecidos... Aí, passaremos a acreditar, deixamos de ser aqueles despreocupados, aqueles que se suicidam... lentamente. Há mais doenças, muitas mais, e se não houver protecção, é certo que, mais cedo ou mais tarde, juntamo-nos às estatísticas dos inconscientes.

Se fazemos análises ao sangue, porque não fazer também as análises às DST? Essas, na sua maior parte, são silenciosas e apanham-se quando menos esperamos.

Não digas não à protecção.

Não tentes ser um super-herói, porque não o és!

1 comentário:

Rosa Espartilho de Rótula disse...

Sugiro também como "palavra de técnico" as belas palavras do Prof Júlio Machado Vaz: http://ww1.rtp.pt/multimedia/index.php?prog=2403

Podcast para ouvir na privacidade.